sábado, 16 dezembro, 2017

Ministério da Justiça da Holanda extradita hacker russo aos EUA

hackers, russia, holanda, extradiçãoO governo holandês aprovou a extradição para os EUA do russo Vladimir Drinkman, acusado de envolvimento em ataques de hackers e roubo de dados de pelo menos 160 milhões de cartões de crédito.

Segundo os investigadores, os russos Vladimir Drinkman, Alexander Kalinin, Roman Kotov, Dmitri Smilyanets e o ucraniano Mikhail Rytikov penetravam ao longo de sete anos nas redes informáticas de grandes empresas norte-americanas e internacionais, baixando dados de mais de 160 milhões de cartões de crédito e vendendo-os a compradores. Os promotores caraterizaram esse ataque como o maior na história dos EUA.

Em meados de abril, um tribunal de Roterdão aprovou a extradição de Drinkman aos EUA e à Rússia. O Ministério da Justiça holandês devia decidir a que país Vladimir Drinkman seria extraditado.

O porta-voz do Ministério da Justiça declarou esta terça-feira à Associated Press que o chefe do departamento decidiu extraditar Drinkman para os EUA.

As acusações foram apresentadas aos quatro russos e a um cidadão ucraniano à revelia pelo tribunal do Estado norte-americano de Nova Jersey. Smilyanets e Drinkman foram detidos, em 2012, pelas autoridades holandesas. Em setembro de 2012, Smilyanets foi extraditado para os EUA, onde compareceu perante o tribunal, refutando todas as acusações, e ainda está sob custódia.